A Baixada está sitiada

José Manoel 25 de março de 2014 0

Novamente o acesso a Santos está coalhado de caminhões.

Mais uma vez, uma ambulância que saia da baixada em direção a São Paulo não pode saber se terá tempo para chegar com o paciente vivo.

Novamente todo o turismo fica prejudicado, e com isso a Baixada (que já lida com a falta diária de água na torneira) sofre outra tremenda baixa em sua economia.

Tudo por inoperância governamental.

O prometido agendamento resultou nulo.

O caminhoneiro sofrendo enorme prejuízo financeiro e vendo em risco a própria vida em arrastões eminentes.

E pensar que a solução de tudo isso está ao lado do caminhão…

PORTO-DE-SANTOS-ENGARRAFAMENTO-SOJA-2013-23-size-598

Se houvesse um mínimo de seriedade no tratamento da questão ferroviária, nada disso estaria acontecendo.

Brigam Cosan e ALL pelos próprios interesses, pelos próprios caixas, e o interesse público é solenemente ignorado.

Se não há uma estrada privada no Brasil, porque os trilhos são exclusivos? Isso é inaceitável. Que cobre-se o pedágio condigno, certo, mas que se libere os trilhos a quem os queira operar!

 

O trilho é limpo!

O trilho é barato!

Pense nisso!

PORTO-DE-SANTOS-ENGARRAFAMENTO-SOJA-2013-41-size-598

About the author

José Manoel Doutor em Engenharia de Produção, Mestre em Engenharia Mecânica, Engenheiro Civil, Jornalista e Advogado. Pós-graduado em Geoprocessamento, Termofluidomecânica, Eng. Oceânica e História da Arte. Conselheiro do Instituto de Engenharia em dois mandatos e do CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo. Para visualizar o curriculumn clique aqui.

Deixe seu comentário