Conheça 3 maneiras inovadoras de reduzir o lixo nosso de cada dia

Mariana Ferreira Gonçalves 6 de novembro de 2012 0

1. Bituca de cigarro se transforma em paletes plásticos
Esta solução é dedicada a um inimigo quase imperceptível de tão pequeno, mas que traz enormes danos ao meio ambiente: as bitucas de cigarro. Apesar de pequeninas, as bitucas são descartadas aos milhões, todos os dias, no chão. E, conforme o papel se degrada, o filtro, que reteve parte das toxinas, libera essas substâncias no solo. A TerraCycle, empresa canadense de reciclagem, encontrou uma solução pioneira para isso. Ela recebe esse lixo através de uma rede de coletores voluntários – pelo correio e com frete pago – e o utiliza na confecção de paletes plásticos. Restaurantes e empresas podem enviar suas bitucas, e a empresa ainda doa para a caridade 1 dólar para cada libra (cerca de 450 gramas) de tocos recolhidos. A empresa atua no Brasil, mas a brigada que recolhe cigarros ainda não opera por aqui.

2. FUNGO QUE SE ALIMENTA DE PLÁSTICO
Cientistas da Universidade de Yale, uma das mais respeitadas dos Estados Unidos, descobriram um fungo que se alimenta de plástico. Comum nas florestas tropicais, O fungo Pestalotiopsis microspora reduz e utiliza o poliuretano como substrato para crescer em ambientes anaeróbicos. Na prática, isso significa que para este fungo tudo pode virar alimento: raízes, sementes, rodinhas de skate, travesseiros e até camisinhas! O Pestalotiopsis digere poliuretano (PUR), polímero de que são feitas essas e outras coisas que se acumulam nos lixos da cidade, incluindo lixo tecnológico. Segundo o estudo, a descoberta pode trazer novas soluções para o lixo plástico. Bacana, não?

3. COCÔ DE CACHORRO REVERTIDO EM TEMPO DE USO NA INTERNET
Em dez parques da Cidade do México, levar o cachorro para fazer cocô pode render alguns bons minutos de acesso a internet rápida, sem custo. Isso graças a um equipamento (batizado de Poo Wifi) instalado nesses espaços públicos. As fezes dos cães, recolhidas pelos donos, viram crédito para usar a internet wireless: basta colocá-las nos sacos plásticos disponíveis e depositá-las em uma máquina que, então, calcula o peso das necessidades do pet e gera crédito em minutos para acessar a internet de graça ali. Quanto maior o volume, mais tempo de acesso. A campanha foi idealizada pela agência de publicidade DDB México para o portal Terra, a fim de educar os donos de cães que esquecem que a calçada não é vaso sanitário. Uma ótima idéia para deixar nossas ruas mais limpas!

 

 

About the author

Mariana Ferreira Gonçalves Redatora. Para visualizar meu curriculum, clique aqui.

Deixe seu comentário