Guiness Book publica recordes da sustentabilidade

Mariana Ferreira Gonçalves 13 de fevereiro de 2013 12

Quem fez bonito na publicação foi Florianópolis. A capital catarinense foi considerada pelo Guiness Book a cidade que mais recicla óleo de cozinha usado em todo o planeta. Foram cerca de 18,7 mil litros em, apenas, um mês.  A marca foi atingida graças à campanha Floripa no Guiness*, promovida desde setembro pelo projeto ReÓleo, da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis (ACIF). A ideia era mobilizar toda a população da capital para superar a marca de 10 mil litros reciclados em 30 dias. No mesmo mês que a ação teve início, Florianópolis ultrapassou e quase dobrou a meta:  a capital catarinense reciclou mais de 200 mil litros de óleo de cozinha usado e, no final de janeiro, recebeu da equipe do Guiness Book o certificado de cidade que mais recicla o recurso. O feito será impresso na nova edição do Livro dos Recordes, que será lançada em novembro deste ano.
No quesito reciclagem de sacolas plásticas, quem bateu o recorde foi a Itália. Foram 120 mil sacolas plásticas recicladas em 192 minutos, o equivalente a 8 horas! A iniciativa partiu da empresa italiana Conzorcio SEA, que por trabalhar com o mar quis conscientizar à população a respeito dos prejuízos que o descarte incorreto dos sacos plásticos traz para o meio ambiente e, sobretudo, para os animais marinhos. As sacolas foram coletadas em 54 cidades e aldeias da Itália entre os meses de setembro e novembro de 2010.
Ainda falando de plástico e de das conseqüências de seu descarte nos oceanos, foi criado um belíssimo barco todo feito à partir de garrafas plásticas usadas. Batizado de Plastiki, o catamarã foi ideia do ecologista inglês David de Rothschild, depois de ler um relatório da ONU que contava a respeito dos estragos que o plástico causa nos ecossistemas marinhos. Com 20 metros de comprimento, o veleiro foi construído em 2009 com cerca de 12 mil garrafas plásticas usadas, que foram preenchidas com uma pequena quantidade de gelo seco – para dar sustentação ao barco e garantir que ele não afunde.
Já um pequeno país europeu recebeu o mais invejável dos títulos: A Islândia foi o país que mais pontuou no famoso Environmental Sustainability Index (Índice de Sustentabilidade Ambiental, em português), que mede o grau de comprometimento das nações com as questões relacionadas à sustentabilidade ambiental. O índice leva em conta critérios como uso da água, proteção à biodiversidade e produção de energia limpa. Para ser considerada o país mais verde do mundo, a Islândia fez 93,5 pontos – em uma escala de 1 a 100 – na avaliação internacional.

About the author

Mariana Ferreira Gonçalves Redatora. Para visualizar meu curriculum, clique aqui.

12 Comentários »

  1. ARLETE REGES GERMANIO 7 de março de 2013 às 16:12 - Reply

    São louváveis as ações acima. O que comprova que com conhecimento e mudança de atitudes poderemos construir uma sociedade sustentável.

  2. maria marly rodrigues 12 de março de 2013 às 15:14 - Reply

    Se todas as cidades tivesse ideias iguais a estas o mundo seria melhor,mas agradável menas poluição e uma sociedade mais agradável de se viver.

  3. Josefina Gomes de Barros 12 de março de 2013 às 15:17 - Reply

    Parabéns pelas ações, precisamos divulgar mais as nossas comunidades, acho que um dos problemas de manter um ambiente sustentável é aplicação do conhecimento, as pessoas até sabem, mas não criam o hábito de aplicar o conhecimento em favor da vida.

  4. Ionária Régia de Souza 12 de março de 2013 às 15:23 - Reply

    Sim essas atitudes são muito importantes, mas contanto que as mesmas sejam permanentes e se tornem hábitos. E que as pessoas saibam o que estão fazendo, para que não o façam, apenas pelos prêmios e por dinheiro. Como algumas escolas que tocam nestes temas durante as datas comemorativas, nas feiras de ciências. Ou as empresas para conseguir “os ISOs”. Pois ensinado principalmente as crianças bons hábitos de convivência com as pessoas e o planeta, economia de energia, reaproveitamento de materiais e o consumo consciente. Não teremos que nos preocupar tanto em remediar, punir ou lamentar tantos problemas socioambientais.

  5. Sandra Martins de Oliveira. 12 de março de 2013 às 15:31 - Reply

    Vejo sempre falar sobre reciclagem de sacolas plásticas, garrafas, entre outros, mas não reciclagem de óleo de cozinha, achei uma alternativa muito interessante na preservação do meio ambiente. Falta campanha, mobilização e conscientização das pessoas para pensar mais sobre a importância de reciclar, promovendo assim um ambiente saudável.

  6. Edinalva Alves S. Sampáio 12 de março de 2013 às 15:35 - Reply

    Como é importante o reaproveitamento do óleo de cozinha, saber que em apenas um mês deixaram de ser lançados nos esgotos da cidade de Florianópolis cerca de 18,70 mil litros. Já pensou se todas as cidades brasileiras engajassem nessa campanha? Quantos rios, lagos e lenções freáticos deixariam de serem poluídos!

  7. maria de lourdes 12 de março de 2013 às 15:50 - Reply

    Chamou -me atenção o projeto óleo da associação comercial.
    Como é bom ensinar coisas importantes para os outros.ml

  8. Marcos 14 de março de 2013 às 14:59 - Reply

    Bela cidade!!! Agora tb mostra seu valor em preocupar-se com a sustentabilidade

  9. Sylvia 14 de março de 2013 às 15:23 - Reply

    Gostoso saber que existem cidades que realmente se preocupam com o meio ambiente, ponto para Floripa!!!

  10. Cristian Maluf Dias 14 de março de 2013 às 16:48 - Reply

    Bons exeplos a serem seguidos

  11. Lorenzo L 14 de março de 2013 às 18:44 - Reply

    Sustentabilidade deveria ser um assunto vital para todos. Ensinamentos para os mais jovens e pauta dos governos

  12. Celia 19 de março de 2013 às 14:58 - Reply

    Temos a capacidade de interagir com o meio ambiente resta -nos a sensibilidade e compromisso de que a nossa interação se dê de forma positiva para não comprometer a vida. Parabéns por estas grandiosas ideias de reaproveitamento de materiais recicláveis são verdadeiros exemplos para todos.

Deixe seu comentário