Pedido de embargo contra empresa após incêndio em Santos é revisto

José Manoel 25 de maio de 2015 0

Decisão foi revista após manifestações de diversos órgãos.

Publicação saiu no Diário Oficial da cidade.

O pedido de suspensão de embargo da Ultracargo foi revisto parcialmente pela Prefeitura de Santos. A decisão havia sido tomada após o incêndio de nove dias que atingiu seis tanques de combustíveis em um dos terminais da empresa, no bairro Alemoa. Assim, a indústria poderá operar na área não danificada pelas chamas.

Sem título

Tanques de combustíveis da Ultracargo ficaram chamuscados após incêndio (Foto: Roberto Strauss/G1)

O incêndio teve início no dia 2 de abril e foi declarado extinto pelo Corpo de Bombeiros apenas no dia 10. As causas que levaram ao episódio ainda estão sendo apuradas, mas, segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio de Minério e Derivados de Petróleo (Sindiminério), cerca de 400 mil litros de gasolina teriam vazado na unidade dez dias antes do incidente. O motivo seria uma falha durante uma operação.

A decisão de revisão do embargo chegou a ser publicada no Diário Oficial da cidade. Segundo a prefeitura de Santos, a medida foi baseada nas manifestações da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), da Companhia Ambiental do Estado (Cetesb), Secretaria Municipal de Infraestrutura e Edificações (Siedi) e da empresa especializada Concremat. O terminal TIS-I da Tequimar, que fica na Avenida Augusto Barata e foi atingido pelo fogo, continua interditado até que todas as pendências sejam resolvidas.

O embargo da Tequimar foi decidido no dia 9 de abril, quando a administração municipal afirmava que a medida visava garantir a segurança e a saúde dos munícipes. Já o embargo promovido no dia 13 de abril ao Terminal Exportador de Álcool de Santos (TEAS), também na área do incêndio e operado pela Ultracargo, foi mantido pela prefeitura.

size_810_16_9_incendio-santos

 

About the author

José Manoel Doutor em Engenharia de Produção, Mestre em Engenharia Mecânica, Engenheiro Civil, Jornalista e Advogado. Pós-graduado em Geoprocessamento, Termofluidomecânica, Eng. Oceânica e História da Arte. Conselheiro do Instituto de Engenharia em dois mandatos e do CREA - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de São Paulo. Para visualizar o curriculumn clique aqui.

Deixe seu comentário