São Paulo teria poluição 75% maior se metrô parasse um ano

Mariana Ferreira Gonçalves 2 de julho de 2012 8

 

De acordo com pesquisa realizada por especialistas da Universidade Federal de São Paulo, se o metrô de São Paulo deixasse de funcionar durante um ano inteiro, a concentração de poluentes na capital paulista aumentaria 75% e as mortes causadas por problemas cardiorrespiratórios cresceriam entre 9% e 14%. O município teria que desembolsar US$ 18 bilhões com investimentos voltados à saúde pública por conta destes números assustadores.

Para chegar a estes dados, cientistas compararam o nível de poluição no ar de São Paulo em dias normais e em dias de greve de metroviários – uma que ocorreu em 2003 e outra em 2006. Também analisaram as mortes adicionais nos dias de paralisação e calcularam a perda de produtividade que isso representa.

Em 2003, a concentração de poluentes em um dia normal foi de 41 microgramas por metro cúbico (µ/m³). No dia da greve o número saltou para 101,49 µ/m³. Foi encontrado o equivalente a oito mortes adicionais associadas à poluição durante a paralisação, o que representa aumento de 14% e um custo de US$ 50 milhões. No ano de 2006, o impacto encontrado foi menor. A concentração de poluição saltou de 43.99 µ/m3 no dia controle para 78.02 µ/m³ durante a greve. As mortes adicionais foram seis, o que corresponde a um aumento de quase 9% e a uma perda de produtividade de US$ 36 milhões.

Como o SOS Planeta vem defendendo, o transporte sobre trilhos é uma questão de saúde pública e que deve ser tratada com seriedade. Entre os meios de transporte de massa, os ônibus são responsáveis por levar 71% dos passageiros, o metrô fica com 24% e o trem, com 5%. O especialista e editor do SOS Planeta,  José Manoel Ferreira Gonçalves, doutor em engenharia de produção pela Universidade Metodista de Piracicaba, estudou os danos da dependência dos transportes rodoviários no Brasil, que são poluentes e menos eficientes do ponto de vista econômico. Aqui você acompanha a matéria do Jornal da Cultura que traz uma entrevista com o editor do nosso site.

http://youtu.be/gl0t0WDUGHo

About the author

Mariana Ferreira Gonçalves Redatora. Para visualizar meu curriculum, clique aqui.

8 Comentários »

  1. Marina Araújo 2 de julho de 2012 às 10:10 - Reply

    Excelente máteria, já está na hora das nossas “autoridades” acordarem e perceberem que os transportes sobre trilhos, seja metrô ou trêm, são vitais para o nosso futuro.

  2. Paulo Moretti 2 de julho de 2012 às 10:22 - Reply

    Precisamos de mais metrôs, mais linhas de trens de passageiros e transportes e menos carros nas ruas, estas questões são vitais para pensarmos em uma sociedade que se desenvolva baseada em sustentabilidade.

  3. Gilson saad 2 de julho de 2012 às 14:01 - Reply

    Senhores do poder, vamos investir em meios de transporte que sejam menos poluentes!

  4. Jéssica Caroline Assis 2 de julho de 2012 às 14:18 - Reply

    Gostei desta matéria, é importante agente saber como o transporte por carros é prejudicial ao meio ambiente e à nossa saúde

  5. Sylvia 2 de julho de 2012 às 14:26 - Reply

    Precisamos de mais metrôs e trêns de qualidade para solucionar o probelma do trânsito e os danos ao meio ambiente causados pelos carros/caminhões/motos. E campanhas para incentivar as pessoas a buscarem transportes alternativos, como carona, biclicleta, etc

  6. Bruno 2 de julho de 2012 às 14:46 - Reply

    Nossa, que absurdo!

  7. Andre 2 de julho de 2012 às 14:53 - Reply

    Por que vcs nao escrevem sobre alternatives viaveis, como carona solid aria?

  8. Miriam 2 de julho de 2012 às 22:13 - Reply

    Poluição excessiva, trânsito caótico, péssima qualidade de vida. Até quando vamos precisar passar por este caos para perceber que o modal rodoviário não é a solução?

Deixe seu comentário