Conheça os 10 países mais sustentáveis do mundo

Mariana Ferreira Gonçalves 2 de julho de 2012 7

O ranking das Universidades de Columbia e Yale, o Environmental Performance Index, avaliou neste ano as regiões com maior preservação ambiental. Em sua mais recente edição, o ranking de desempenho ambiental classificou 132 países utilizando 22 indicadores distribuídos por 10 categorias: critérios de saúde ambiental; poluição do ar; recursos de água; biodiversidade e habitat; recursos naturais; florestas; alterações climáticas, entre outros. A Suíça liderou o ranking por conta do empenho em reduzir progressivamente o uso de combustíveis fósseis e nuclear. Recordista mundial em usinas geotérmicas, cuja energia é quase totalmente vertida para aquecer casas, escritórios, hotéis e estufas durante os meses de inverno, o país se destaca nos quesitos emissão de dióxido de carbono, qualidade do ar e políticas ambientais.

A Letônia, pequeno país do Leste Europeu, ficou em segundo lugar.   A proteção às florestas, que ocupam 44% do território, lhe rendem pontuações altas no EPI. Dados oficiais indicam que o uso de pesticidas caiu 12 vezes desde 1990 e que, atualmente, pelo menos 200 fazendas adotam práticas ecológicas, que dispensam agrotóxicos e outros produtos químicos industrializados, usando apenas compostos naturais. A redução de emissões é uma meta importante para o país, que desde 1990 reduziu a poluição por fontes fixas (fábricas, casas e caldeiras) em 46%.

Terceira colocada no ranking de países mais verdes, a Noruega pretende se tornar carbono neutra até 2030, ou seja, todas as suas emissões devem ser compensadas. Pelo menos 2/3 delas serão reduzidas com ações ambientais internas e para dar conta do restante as autoridades norueguesas financiarão projetos sustentáveis em países em desenvolvimento, como geração de bioenergia e proteção de florestas. Um pequeno e rico país da Europa Central é o quarto colocado no ranking. Em 2009, Luxemburgo adotou programas de incentivo à população para compra de carros ecológicos e eletrodomésticos mais eficientes em energia. Antes, entre 2001 e 2008, o país investiu mais de 70 milhões de euros na expansão do setor de energia solar fotovoltaica. Luxemburgo também leva pontuação máxima em saúde ambiental e proteção à biodiversidade e habitats naturais.

A exuberante Costa Rica aparece em quinto lugar e é o único país das Américas a aparecer entre os primeiros na lista elaborada pelas Universidades Americanas. O país estabeleceu a meta de tornar a região carbono neutra até 2021. Esse pequeno país da América Central sofreu com o desmatamento durante anos, mas agora um dos seus principais objetivos é reflorestar as regiões devastadas. Nos últimos anos, mais de cinco milhões de árvores foram replantadas. Cerca de 50% da superfície total do país encontra-se coberta de bosques e selvas e 25% do território encontra-se protegido. Os investimentos em energias alternativas e índices inéditos de recuperação da mata nativa fazem da Costa Rica referência mundial. Com esse desempenho ambiental o país tem conseguido apoio internacional e financiamento para programas de Redd (Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação).

Países europeus ocupam do sexto ao décimo lugar no ranking. Os franceses contam com uma política agressiva de eficiência energética, que prevê a redução das emissões de gases efeito estufa em 20% até 2020 além da expansão da matriz de fontes renováveis para 25% no mesmo período. Em sétimo lugar, a Áustria é referência em baixas emissões de carbono e tem um programa que incentiva o cidadão a construir seu próprio jardim. Já a Itália, oitava posição no ranking, tornou-se o primeiro país da Europa a banir as sacolas de polietileno, em janeiro de 2011. Desde então, só podem oferecer sacos de papel, pano ou de materiais biodegradáveis. Nos últimos anos, o Reino Unido vem oferecendo incentivos para o desenvolvimento de tecnologias ambientais, que vão do tratamento de água à reciclagem, a fim de atender às rígidas metas nacionais e da União Européia para redução de emissões. Entre o G8, o país é líder no combate às mudanças climáticas. Em décimo lugar, a Suécia se destaca pelo esforço em adotar fontes alternativas de energia . Há cidades que praticamente são livres de lixo porque reciclam a maior parte dos resíduos sólidos gerados pela população transformando-os em energia. A produção de bioenergia abastece casas, estabelecimentos comerciais e até mesmo frotas de ônibus, que integram o sistema de transporte público.

About the author

Mariana Ferreira Gonçalves Redatora. Para visualizar meu curriculum, clique aqui.

7 Comentários »

  1. Paulo Moretti 2 de julho de 2012 às 12:51 - Reply

    belos países!!!

  2. Jéssica Caroline Assis 2 de julho de 2012 às 13:34 - Reply

    Estou adorando este site, muito bom ter notícias sobre meio ambiente e descobri um lugar para estudar e fazer pesquisa para a escola.

  3. Gilson saad 2 de julho de 2012 às 14:06 - Reply

    Quantos bons exemplos e possibilidades, bela paisagem

  4. Sylvia 2 de julho de 2012 às 14:28 - Reply

    Belíssmos exemplos de que é possível aliar qualidade de vida e sustentabilidade

  5. Andre 2 de julho de 2012 às 17:03 - Reply

    Exemplos a serem seguidos, ou me mudaremos para Costa Rica

  6. Andre 2 de julho de 2012 às 17:46 - Reply

    Ou para a Letonia!

  7. Miriam 2 de julho de 2012 às 22:11 - Reply

    Os países citados como mais sustentáveis também são nações ricas e ficam na Europa ( com excessão da Costa Rica). Pensando nisso, é preciso que estas ações exemplares sejam reproduzidas pelos países mais pobres, com apoio popular e novos paradigmas de governo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *